Competição Internacional de Direito e Arbitragem terá simulado na UFSC

Pela primeira vez uma equipe de universitários catarinense irá participar da maior competição internacional de direito e arbitragem para estudantes da área, o Willem C. Vis International Commercial Moot, ou simplesmente Vis Moot. Mas antes disso, também de forma inédita no Estado, a Universidade Federal de Santa Catarina irá sediar um “simulado” no dia 12 de março, onde o seu time terá a oportunidade de demonstrar algumas habilidades que serão apresentadas durante o torneio internacional, de de 23 a 29 de março, em Viena.

E para reforçar o preparo do grupo catarinense, o advogado Lio Bocorny, do escritório Mosimann & Horn, da Capital, foi convidado para atuar como “coach” da equipe. Especialista no assunto, Lio concluiu no ano passado um dos mais concorridos mestrados em arbitragem, em Nova Iorque. “A arbitragem é um método alternativo de resolução de disputas que vem crescendo muito no Brasil. E poder participar de um evento deste porte, experimentando todo o clima de uma negociação internacional, é um grande diferencial para a carreira desses jovens. Além é claro, de toda a bagagem que eles adquirem em trocas com estudantes das mais diversas culturas jurídicas e que poderão aplicar aqui, nas arbitragens domésticas”, analisa.

O Vis Moot é uma competição internacional de direito e arbitragem, que está em sua 25ª edição, sendo realizada todos os anos nas cidades de Hong Kong (vis moot east) e Vienna. Trata-se, basicamente, de uma simulação que oportuniza aos estudantes experimentarem por alguns dias o papel de um advogado de empresa internacional durante uma arbitragem comercial internacional. Com isso, eles se aproximam da prática do direito do comércio internacional e dos métodos alternativos de resolução de disputas. Vale lembrar que, todo o processo é realizado em inglês e regido pela “Convenção Internacional de Compra e Venda de Mercadorias”, do qual o Brasil é parte desde 2014.

A competição se desenvolve em duas fases distintas: escrita e oral. Os competidores primeiramente recebem o caso e submetem duas petições com as razões do Autor (Requerente) e do Réu (Requerido), devendo analisar todos os documentos relevantes ao caso, como e-mails, contratos, testemunhos, ente outros. Após as fases escritas, os competidores se encontram nas rodadas orais em Viena, onde ocorrem as simulações dos tribunais arbitrais onde os árbitros são reais praticantes de arbitragens comerciais internacionais.

Fonte: Blog do Prisco – blogdoprisco.com.br | 10.03.2018